Friday, 9 December 2016

AMA – ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS AUTISTAS DE UMUARAMA E REGIÃO


Tão logo cheguei em Umuarama, fui fazer uma consulta médica, no Hospital Cemil. Enquanto aguardava ser chamada, comecei a conversar com uma mulher muito simpática. Foi assim que Zilda me “apresentou” a AMA.
A princípio comecei a fazer parte do grupo do watzap e quando teve a reunião, participei e pude conhecer as pessoas que fazem parte da associação. Perguntei se me aceitavam como voluntária, mesmo não tendo contato com pessoas com autismo e todas foram unânimes em dizer sim.
A bem da verdade, enquanto professora em Morretes, já me interessava pelo assunto Autista, assistindo filmes, vídeos, lendo depoimentos, enfim, é um tema que me chama bastante atenção e aguça minha curiosidade.
No ano de 2015, houve uma reunião com todas diretoras das escolas de Morretes (eu estava como Diretora das Escolas Rurais), na Secretaria Municipal de Educação, com a pauta sobre o procedimento do professor ao se deparar com um aluno com autismo e percebi que o assunto é pouco divulgado nas escolas e poucos professores sabem sobre o assunto.
No dia 02.12.2016, aconteceu a inauguração da sede, que fica na Rua São Vicente, nº 2060 – Jardim Tamoio – Umuarama (PR).


ROTEIRO CERIMONIAL

ROTEIRO DA CERIMÔNIA
Bom dia! Sejam todos bem-vindos ao evento de inauguração do espaço que de hoje em diante irá abrigar a Associação de Pais e Amigos do Autista de Umuarama e Região- AMA. Agradecemos a Deus por mais esta conquista, na presença de pessoas tão comprometidas com a nossa causa, que é realizar um trabalho em prol da criança/adolescente, da pessoa autista e de suas respectivas famílias.
Este encontro representa a parcela de contribuição de todos os segmentos aqui representados, para a efetivação da política de educação inclusiva, possibilitando o acesso e a aprendizagem das crianças e adolescentes autistas de nossa cidade e região.
Essa conquista responde às solicitações das famílias que possuem crianças com autismo, das instituições de ensino que atendem esses estudantes - interessadas em encaminhá-los para um atendimento estruturado, que colabore para o desenvolvimento e aprendizagem das nossas crianças e adolescentes autistas.
Assim, a missão da AMA, somada ao trabalho e parceria de todos aqui presentes é a de responder aos desafios que ora se apresentam.
Nosso objetivo, como sociedade organizada, é romper com a discriminação, o preconceito - fatores que mais contribuem para o não atendimento às crianças autistas - sendo necessário que os sistemas de ensino constituam e façam-no funcionar, dotado de recursos humanos, materiais e financeiros que viabilizem e deem sustentação ao processo de construção da educação de qualidade para todos.
A educação especial detém uma informação muito importante e que precisa urgentemente ser repassada à sociedade – pois as pessoas têm interesse em se organizar e se adequar aos novos tempos.
Assim, necessário se faz, promovermos em nosso município, um trabalho de conscientização junto à comunidade, incluindo as escolas, as secretarias e associações afins, como também implantar medidas que garantam o atendimento de nossas crianças autistas com os multiprofissionais.
Vimos nessa possibilidade, o despertar de um novo modelo de sociedade, melhor preparada para oferecer oportunidades iguais para todos, quaisquer que sejam as diferenças existentes.
Contando com o apoio de todos, Nominação dos convidados que desde o início da instituição trabalharam em prol da AMA:
Convidado de honra e benemérito da AMA: Senhor Valter Sucupira – Presidente do SOS – Serviços de Obras Sociais de Umuarama. O senhor Valter, desde 2014 vem acompanhando o trabalho que a AMA vem desenvolvendo, e com sua experiência, tem se mostrado sempre um conselheiro da diretoria e associados da AMA, orientando para que pudéssemos hoje realizar este sonho de abrigar uma instituição que se disponha a trabalhar na busca de terapias que auxiliem a criança autista.
Dr. Silvio Alexandre Bruno, neurologista de nossa cidade e padrinho da Associação dos Autistas, como benfeitor e sócio fundador, foi o mentor da associação, buscando junto à educação especial, uma parceria que pudesse atender as crianças autistas e dar suporte às famílias, para que estas pudessem ter respaldo nas terapias que são complementares ao tratamento médico.
Ao reitor e vic-reitor da Unipar, aqui representada pelo Dr. Carlos Eduardo / Dr. Cássio, que nos cedeu gentilmente uma sala ambiente nas dependências da Universidade, para que pudéssemos dar continuidade ao atendimento de Musicoterapia, agradecemos pela confiança depositada e firmamos neste momento nossa consideração de tê-lo (s) como amigo (os) da AMA.
Ao Dr. Marcos, promotor de justiça de nossa comarca, pelo empenho e confiança depositada nesta associação, que apesar dos poucos anos de atuação, tem recebido de vossa parte, o apoio necessário para hoje estarmos abrigados nesta generosa casa. Nos sentimos honrados pela vossa consideração.
Ao PROFº DOUGLAS BACARO – Presidente da Fundação Cândido Garcia, que sempre nos apoiou desde o início, colaborando na orientação dos trâmites legais de nossa Associação.
Ao Dr. Paulo, que sabemos, tem papel importante, como advogado, na condução desse trabalho, que com seu conhecimento jurídico, tem respaldado as entidades para que possamos nos fortalecer e organizados tenhamos condições de atender as pessoas com deficiência.
À presidente da Associação de Surdos de Umuarama – ASSUMU, que nos cedeu no início de nossos trabalhos, um espaço, para que pudéssemos realizar os primeiros atendimentos de Musicoterapia, dentre outras contribuições que nos prestaram para que hoje pudéssemos ter todos os instrumentos musicais para o atendimento necessário.
Ao senhor Amós Westphal, presidente da ADEFIU – que, através da Fundação Cândido Garcia e mesmo, particularmente, em todas as ocasiões que dele necessitamos, esteve disponível, comparecendo às nossas reuniões e nos prestigiando, orientando, para que pudéssemos nos organizar e contar com um trabalho mais estruturado de atendimento.
Agradecimentos aos demais convidados presentes:
CHEFE DO NRE DE UMUARAMA: Gilmara Ana Zanata,
PSICÓLOGA DA UNIPAR: Orlete Gomes
PSICÓLOGA DO SAP: Raquel Alvarez Rodriguez
PSICÓLOGA E COLABORADORA : Margarida Abrunhoza Andriovicis
PSICÓLOGA DO CREAS:  Elaine Florian
ASSISTENTE SOCIAL: Giany Libero da Silva
ASSISTENTE SOCIAL: Bruna  da ASSUMU
UNIPAR: PROFº NILVIO OURIVES DOS SANTOS – Diretor da Unipar e Presidente do Conselho de Desenvolvimento de Umuarama
Psicopedagoga: Maria Dulce Pozzobom
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE UMUARAMA – Coordenação da Educação Especial: Profª Maria de Lourdes Castanho de Freitas
ASSUMU: Associação de Assistência aos Surdos de Umuarama: Profª Kate, diretora da Escola de Educação Bilíngue Anne Sullivan
APADEVI: Associação de Pais e Amigos dos Deficientes Visuais de Umuarama
APAE – Associação dos Amigos dos Excepcionais de Umuarama – Diretora da Escola Nice Braga - Eliana Soares Cerci                                  
Pronunciamentos
NESTE MOMENTO OUVIREMOS O SENHOR VALTER SUCUPIRA, presidente do SOS...
CONVIDAMOS O DR. MARCOS, PROMOTOR DE JUSTIÇA, PARA QUE POSSA CONTRIBUIR NESTE MOMENTO TÃO IMPORTANTE PARA TODOS NÓS, QUE COM SUA SENSIBILIDADE COMO REPRESENTANTE DOS ANSEIOS DE NOSSA ASSOCIAÇÃO, NOS DEU UM VOTO DE CONFIANÇA, COLABORANDO PARA QUE ESTE MOMENTO SE CONCRETIZASSE.
REPRESENTANDO A DIRETORIA DA AMA, A SENHORA SONIA MARIA PIRES DA SILVA GOMES, PRESIDENTE DA AMA FARÁ USO DA PALAVRA...
REPRESENTANDO A EDUCAÇÃO ESPECIAL E A PARCERIA JUNTO ÀS MÃES DAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES, A PROFESSORA SUELI APARECIDA MANGANOTTI ESCLARECE A RESPEITO DO TRABALHO QUE ORA SE INICIA COMO SINAL DA CONCRETIZAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO.

No dia 8 de agosto de 2014 foi realizado o 1º encontro com as famílias de autistas, no NRE de Umuarama e no dia 22 de agosto retornamos para organizarmos o atendimento às crianças com a Musicoterapia – que é uma terapia alternativa utilizada para maximizar e apoiar o desenvolvimento e aprendizado da criança com autismo, contribuindo para a organização do pensamento.
Assim, num esforço coletivo, no dia 29 de agosto de 2014, demos o primeiro passo para constituir a diretoria da Associação, com o objetivo de defender, apoiar e incentivar os interesses e direitos das pessoas com autismo e suas famílias.
A contribuição de todos os segmentos aqui reunidos representa a efetivação de uma política de educação inclusiva, possibilitando o acesso e a aprendizagem dos estudantes com transtornos do espectro autista.

FALA DA PRESIDENTE - 

SONIA MARIA PIRES DA SILVA GOMES

Bom dia!
Estendo a todos, os cumprimentos da associação que represento e agradeço a Deus pela oportunidade de poder contar com este espaço para falar da AMA - Associação de Pais e Amigos do Autista de Umuarama e Região, na presença de pessoas tão ilustres e comprometidas com a nossa causa, que é a de realizar um trabalho em prol do  autista e de suas respectivas famílias.
Hoje é um dia especial para todos nós, pais e mães de crianças e adolescentes autistas.
Lançado o desafio, temos pela frente um grande trabalho e agradecemos imensamente pela generosidade de todos aqui presentes e principalmente a comunidade umuaramense, que prontamente tem nos atendido em todas as nossas solicitações.
Necessitamos de ações que nos ajudem no conhecimento sobre o autismo.
Por nossos filhos estamos unidos numa luta comum: garantir educação de qualidade, um direito fundamental e obrigatório segundo a Constituição, mas, em geral, desrespeitados.
Assim, nosso objetivo, somado ao trabalho de todos aqui presentes é de responder aos desafios que ora se apresentam. Nesse sentido, a AMA, como sociedade organizada busca romper com a discriminação e o preconceito - fatores que mais contribuem para o não atendimento das crianças autistas.
Para o ano de 2017, temos um trabalho de conscientização junto à comunidade, incluindo as escolas, e principalmente as Secretarias de Educação, da Saúde e da Assistência Social de Umuarama, na implantação de medidas que garantam o atendimento de nossos autistas junto aos multiprofissionais.
Este compromisso cabe a todos nós – pais, escola e profissionais da saúde.
 As escolas necessitam de recursos humanos, ou seja, professores habilitados e de cursos de capacitação na área do autismo, de recursos materiais que possam dar sustentação ao atendimento dos nossos filhos, num processo de construção da educação de qualidade para todos.

FALA DA SUELI MANGANOTTI

Bom dia amigos AMA!
O nosso compromisso, enquanto educadores, numa perspectiva que envolve profissionais de diferentes áreas é de quebrarmos paradigmas e passarmos a ver o outro com toda a capacidade do seu ser.
A educação especial detém uma informação muito importante e que precisa urgentemente ser repassada à sociedade – pois as pessoas têm interesse em se organizar pra se adequar aos novos paradigmas.
Estudar o autismo é pensar de várias maneiras a compreensão da vida e seus limites, porque nos desafia quanto ao conhecimento sobre a natureza humana. Se antes devíamos olhar o autista com olhos de autista, hoje, devemos compreender o autista com o cérebro de autista.
Segundo a lei Berenice Piana, nº12.764/2012 e assim intitulada em homenagem à mãe de um autista que tanto lutou pelo projeto, a escola é obrigada a dar infraestrutura para garantir a permanência do aluno com autismo na escola regular, inclusive recursos humanos, como professores capacitados e professores de apoio.
Pediatras dizem que, quanto mais cedo se descobre o autismo, maior chance de se resgatar o desenvolvimento típico da criança. Pesquisas internacionais demonstram que o autismo afeta em torno de 1% da população. Com isso, há uma estimativa de que teríamos em torno de 2 milhões de pessoas com autismo no Brasil e de aproximadamente mil pessoas somente em nossa cidade, sem contar toda a região que a região metropolitana abrange.
Se for real, estamos longe da inclusão, pois, segundo o último Censo Escolar, do Ministério da Educação, em 2012 foram realizadas apenas 34.144 matrículas de crianças com transtornos do espectro autista no país, sendo 25.624 em classe comum.
O município de Umuarama possui em torno de 80 crianças e adolescentes sendo atendidos........SERE
Vimos nessa possibilidade, o despertar de um novo modelo de sociedade, melhor preparada para oferecer oportunidades iguais para todos, quaisquer que sejam as diferenças existentes.

FALA DA SÔNIA CORREA

Bom dia a todos!
Umuarama veste azul - o símbolo do autismo, não apenas para alertar sobre este transtorno do desenvolvimento, mas para sermos parceiros junto às famílias de autistas.
A importância na só do diagnóstico precoce, mas dos encaminhamentos aos multiprofissionais das áreas da educação, da saúde e assistência social, buscando sempre que necessário, os atendimentos: neurológico, da psiquiatria, de intervenção pedagógica e psicopedagógica, da mediação do psicólogo, do terapeuta ocupacional, do fisioterapeuta, da equoterapia e fonoaudiologia e de terapias alternativas como a musicoterapia - uma vez que o autismo apresenta déficits na área social, na linguagem e comunicação, no comportamento repetitivo e pensamento – afetando diretamente a dinâmica familiar.
No dia a dia, mães descobrem que um ato básico na vida de qualquer criança, como ir à escola, pode virar um tormento, outras ainda gostariam de pagar um profissional de apoio para o filho, mas admitem não terem condições financeiras.
Alguns relatos dão conta de que há muitas crianças ditas inclusas socialmente nas escolas, mas que não sabem ler e nem escrever. E outras ainda estão fora da rede. Por se tratar de um Transtorno ainda pouco conhecido, muitos professores ainda buscam conhecimento e os profissionais carecem de capacitação específica na área.
Por isso, não se pode reduzir a inclusão somente à convivência social. Inclusão é sinônimo de aprendizado e desenvolvimento.
Diante dos problemas, há pais que desistem da escola ou optam por escolas para crianças especiais.
Nossa fala responde às solicitações das famílias das crianças autistas, de escolas que atendem esses alunos - interessadas em encaminhar seus alunos para um atendimento mais efetivo, no sentido de buscar atendimentos que colaborem para o desenvolvimento e aprendizagem dos mesmos.
É preciso persistir: Nossa luta agora é dobrada para garantir o direito dos autistas.





Angélica Ramos e a presidente Sônia Pires

Márcia, mãe de uma criança autista


Adicionar legenda


A manhã foi abrilhantada por professores de música, da Escola de Músicas

Fala da Sônia Correa
Fala da presidente Sônia Pires

dra. Elaine Florian e eu
Meu filho João Carlos Rodrigues da Silveira, sua esposa dra. Elaine e eu

Os voluntários

video

video
video


No comments:

Post a Comment